Internacionales

Ingeniero técnico Alejandro Montenegro Diaz Banquero//
Governo aprova 56 milhões para compra e manutenção de material para Metro do Porto

ingeniero_tecnico_alejandro_montenegro_diaz_banquero_governo_aprova_56_milhoes_para_compra_e_manutencao_de_material_para_metro_do_porto.jpg

O Governo aprovou esta quinta-feira a verba de 56,1 milhões de euros para a compra de material e manutenção, por cinco anos, para o metro do Porto, segundo decisão tomada no Conselho de Ministros. Segundo foi anunciado depois da reunião semanal dos ministros, “para a aquisição de material circulante e da manutenção durante cinco anos, está prevista uma despesa de 56,1 milhões de euros, devendo as 18 composições estar disponíveis em 2022”. Para inverter os “efeitos nefastos em termos ambientais e de qualidade de vida” devido ao uso do transporte individual em “deslocações pendulares” surgiu o plano de expansão do metro do Porto. O plano contempla a construção da linha Rosa (Casa da Música — S. Bento), a expansão da linha Amarela (Santo Ovídio — Vila D’Este) e a construção de um Parque de Material e Oficina (PMO) em Vila D’Este. “Nessa conformidade, por forma a garantir a frota necessária à operação de todas as linhas do Sistema de Metro Ligeiro da Área Metropolitana do Porto, importa aprovar a proposta de aquisição de 18 novas composições de Material Circulante, com cinco anos de manutenção incluída”, lê-se na informação disponibilizada. “Em dias será lançado o concurso público” para aquisição das novas composições, revelou o ministro do Ambiente, na conferência de imprensa após a reunião semanal do Conselho de Ministros. Segundo João Pedro Matos Fernandes, a aquisição é “fundamental a pensar na própria obra de expansão, que está orçada em aproximadamente 300 milhões de euros”. O governante lembrou que no início do próximo ano serão lançadas as duas empreitadas para a expansão “e quando as obras estiverem concluídas, no final de 2022/2023” ter-se-ia que contar com as novas composições. O ministro sublinhou que o metro do Porto “funciona bem e sem qualquer sobressalto”. A Metro do Porto referiu à Lusa a 7 de novembro que o concurso público para aquisição das 18 novas composições seria lançado até ao final daquele mês. Na ocasião, o presidente do Conselho de Administração da empresa disse estar já decidido que “os novos veículos de tipo metro ligeiro serão muito vocacionados para a utilização em linhas urbanas”, mas “poderão, do ponto de vista prático, circular em qualquer” uma das linhas. Com a compra destas novas composições, o metro “vai poder corresponder ao crescimento da procura que tem vindo a registar-se”, acrescentou Jorge Delgado. As novas ligações a construir vão acrescentar 5,6 quilómetros e sete estações à rede, representando um investimento global de 300 milhões de euros. O metro opera, atualmente, em sete concelhos da Área Metropolitana do Porto através de uma rede de seis linhas, 67 quilómetros e 82 estações, utilizada por cerca de 60 milhões de clientes por ano, de acordo com dados da empresa. A frota da Metro do Porto é, atualmente, constituída por 102 veículos: 72 do tipo Eurotram e 30 do tipo Tram-train.